O Vidro no Brasil



Demorou, mas chegou. A primeira fábrica de vidros no Brasil surgiu em 1810, em Salvador. Montada por Francisco Ignácio de Siqueira Nobre, com a autorização do regente D. João, recém-chegado ao Brasil, a Real Fábrica de Vidros da Bahia não teve vida longa, pois foi atingida pelos conflitos e combates da Independência, que ferviam no Estado baiano.

Nessa época, tudo que fosse preciso para o acabamento e mobiliário das casas era necessário ser importado. Apesar disso, no final do século, em 1882, foi criada na cidade do Rio de Janeiro a primeira grande indústria brasileira de vidros, a Fábrica Esbérard - Companhia Fábrica de Vidros e Crystaes, uma produtora de embalagens. Pouco mais de dez anos depois, em 1895, surgia, em São Paulo, a Companhia Vidraria Santa Marina. Os dois empreendimentos foram um verdadeiro sucesso. Depois, foi a vez de a Companhia Vidreira Nacional (Covibra) ser fundada em 1942 por um empresário português.

No finalzinho da guerra, os proprietários da Vidraria Santa Marina criaram a Companhia Paulista de Vidro Plano (CPVP), produzindo vidro para o mercado paulista, interior do Estado e regiões vizinhas.

A concorrência apertava e o dono da Covibra sugeriu aos empresários da Vidraria Santa Marina que fizessem uma fusão entre as duas fábricas. Com isso, no início da década de 1950, ficou acertada a criação das Indústrias Reunidas Vidrobrás Ltda., resultado da associação entre a Covibra e a CPVP.